Home » Notícias » Notícias Moçambique » Moçambique entra no grupo dos países produtores de petróleo em 2014

Moçambique entra no grupo dos países produtores de petróleo em 2014

Moçambique entra no grupo dos países produtores de petróleo em 2014 - Lateorke Oil Gas


Maputo - 2014/01/06 - Moçambique vai entrar no grupo dos países produtores de petróleo em 2014, quando se esperam também significativos avanços na produção de gás natural e carvão, afirma a Economist Intelligence Unit.

Uma pequena descoberta próximo do campo de gás de Temane, na província de Inhambane (sul), vai permitir à petrolífera sul-africana Sasol começar a produção comercial de petróleo ainda este ano, refere o último relatório da EIU sobre a economia moçambicana.

“O campo representa a primeira produção comercial de petróleo em Moçambique, onde até agora apenas as descobertas de gás natural foram consideradas viáveis”, adianta o relatório a que o macauhub teve acesso.

O projecto irá produzir perto de 2.000 barris de petróleo diários, uma pequena quantidade em termos comerciais, mas que permite “diversificar a base de exportações moçambicana”, sublinha.

Além disso, os representantes da Sasol deram já indicações de que são possíveis novos aumentos nas estimativas de reservas petrolíferas, estando em curso as actividades de exploração na área.

Segundo o Oil and Gas Journal, Moçambique tem perto de 4,5 biliões de pés cúbicos de reservas de gás natural provadas, mas não tinha até início do ano passado quaisquer reservas de petróleo.

O país tem extensas bacias sedimentares onshore e offshore contendo recursos de gás natural, grande parte por explorar, além significativas reservas de carvão, consideradas das maiores do mundo.

William Telfer, especialista em hidrocarbonetos, afirmou à DW África que a descoberta “é muito viável” e que 100 poços semelhantes equivalem à produção de Angola e da Nigéria.

“Não é pouco, é muito bom. E vamos ouvir falar, em breve, de mais descobertas que vão multiplicar a quantidade de poços”, afirmou o especialista.

“O produto interno bruto vai crescer. Temos um excelente ministro das Finanças e um excelente vice-ministro. Um quadro muito forte. Moçambique está preparado para começar a explorar grandes quantidades de petróleo”, adiantou.

Apesar do anúncio, a Economist mantém as suas estimativas para o crescimento económico e exportações no período 2014-2018, que já incorporam investimentos substanciais nas indústrias extractivas e maior peso da saída de mercadorias.

Paralelamente, a Sasol está a aumentar a produção dos seus campos de gás de Pande e Temane, uma “notícia bem-vinda para o nascente sector energético moçambicano” e um “sinal de confiança” da parte de um investidor estrangeiro importante, numa altura sensível a nível político e de segurança.

A Sasol está a investir em várias frentes, nomeadamente no aumento da capacidade do seu gasoduto para a África do Sul (184 milhões de dólares) e numa central eléctrica a gás na fronteira de Ressano Garcia (246 milhões de dólares).

A EIU prevê para 2013 um crescimento do PIB de 6,5 por cento em Moçambique, acelerando para 7,3 por cento este ano e 7,6 por cento em 2015.

A indústria é o sector que mais deverá contribuir para o crescimento económico nos próximos dois anos: 9 por cento em 2014 e 14 por cento em 2015.(