Home » Notícias » Notícias Moçambique » Grupo empresarial russo quer entrar no mercado moçambicano de petróleo e gás

Grupo empresarial russo quer entrar no mercado moçambicano de petróleo e gás

Grupo empresarial russo quer entrar no mercado moçambicano de petróleo e gás - Lateorke Oil Gas

MOSCOVO - 20014/04/23 - A Rosneft, multinacional russa do ramo de gás e petróleo, está interessada em investir no mercado moçambicano de hidrocarbonetos.

 

A intenção foi expressa em Moscovo pelo presidente da multinacional, Igor Sechin, durante o encontro que manteve terça-feira na sede da Rosneft com o ministro moçambicano dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Oldemiro Baloi, que se encontra naquele país do leste europeu em visita de trabalho.

 

No encontro, realizado após o Fórum de Negócios Rússia-Moçambique, o chefe da diplomacia moçambicana encorajou a Rosneft a investir e estabelecer parcerias para o desenvolvimento de Moçambique.

 

A Rosneft, com uma produção de cinco milhões de barris de petróleo por dia e uma reserva de vinte e quatro biliões de barris de crude, é tida como uma das maiores empresas do mundo na área de hidrocarbonetos, e possui uma vasta rede de negócios em petróleo e gás tanto na Rússia quanto em 16 países, incluindo Argélia, Alemanha, Brasil, China, EUA, Vietname e Venezuela.

 

Baloi, que falou no fórum para uma audiência de três dezenas de empresários, convidou o empresariado russo "a fazer parte dos grandes investidores em Moçambique".

 

"Reconhecendo a grande experiência e competência que os empresários da Federação da Rússia detêm nos mais variados sectores, acreditamos que poderão desempenhar um papel importante no processo de desenvolvimento de Moçambique", disse Baloi.

 

Entre as empresas russas presentes no fórum, destaca-se, por exemplo, o Grupo Renova, uma composição empresarial russa com largos interesses nos sectores de petróleo, alumínio, energia e telecomunicações, presentemente envolvida na exploração de ouro em Moçambique.

 

A Câmara de Comércio e Indústria da Federação da Rússia representa os interesses de cerca de 50 mil pequenas, médias e grandes empresas de um vasto leque de sectores, particularmente a indústria, comércio, agricultura, sistema financeiro e serviços.

 

O representante do Centro de Promoção de Investimentos (CPI) apresentou aos presentes os dados e gráficos que ilustram a classificação de Moçambique como o segundo maior destino privilegiado do investimento directo estrangeiro em África, em 2013.

 

A apresentação, intitulada "Oportunidades de Investimento e de Negócios em Moçambique", cobriu um leque vasto de informação básica e estratégica, referente à relevância da posição geográfica do país na região, ao crescimento económico sustentável nos últimos 20 anos.